estudar para vencer

ENTREVISTA AO PORTAL CIÊNCIAemPAUTA

04/12/2014 18:26

ENTREVISTA AO PORTAL CIÊNCIAemPAUTA

 

Augusto Fachín Terán, pesquisador da UEA

CIÊNCIAEMPAUTA, POR MIRINÉIA NASCIMENTO

 

Disponivel em:

http://www.cienciaempauta.am.gov.br/2014/12/augusto-teran-pesquisador-da-uea/

 

Postado em 03/12/2014

 

O Grupo de Estudo e Pesquisa Educação em Ciências em Espaços Não Formais da Universidade do Estado do Amazonas (UEA) publicou neste ano três novos livros resultantes dos trabalhos desenvolvidos por seus integrantes, que produzem investigações nessa linha de pesquisa há mais de 10 anos.

Em entrevista ao portal CIÊNCIAemPAUTA, o líder do Grupo Prof. Dr. Augusto Fachín Terán destaca o trabalho do Grupo em transformar as pesquisas em livros, que são produzidos em coautorias com os estudantes de mestrado. Segundo ele, os livros são destinados para as bibliotecas da UEA, tanto as da capital como as dos demais municípios do Estado, e estão disponíveis no site do grupo www.ensinodeciencia.webnode.com.br/, assim como outras publicações.

Acompanhe a entrevista e saiba quais os temas são abordados nos livros e o que o público pode encontrar nas últimas três publicações: ‘Ensino de Ciências em Espaços Não Formais’, ‘Guia de Visitas a Espaços Não Formais Amazônicos’ e ‘O Potencial Pedagógico dos Espaços Não Formais da Cidade de Manaus’.

CIÊNCIAemPAUTA: Qual o primeiro livro produzido pelo Grupo de Estudo e Pesquisa Educação em Ciências em Espaços Não Formais da UEA e sua temática?

Augusto Terán: Nosso primeiro livro foi lançado em 2013 – ‘Novas perspectivas de ensino de ciências em espaços não formais Amazônicos’. Nesta obra, apresentamos os resultados de pesquisas empíricas, bibliográficas e ensaios teóricos sobre temas relacionados à utilização dos espaços não formais. O livro é produto de dissertações e trabalhos acadêmicos realizados nas disciplinas ‘Conservação de recursos naturais amazônicos’ e ‘Educação em ciências em Espaços Não Formais’, orientados por mim.

CIÊNCIAemPAUTA: Que outros temas são abordados nos livros publicados pelo Grupo?

AT: Os temas mais variados podem ser encontrados nos livros sempre relacionados sobre o ensino de ciências. Por exemplo, alfabetização ecológica que é um tipo de conhecimento que trazemos para iniciar o estudante em conhecimentos básicos sobre o funcionamento dos sistemas ecológicos. Esta temática é uma das iniciativas que se tem dentro do grupo que é poder explicar para os estudantes, a partir do ideal ecológico, a questão da sustentabilidade e as necessidades comuns da sociedade. Outro exemplo, agora na parte histórico-cultural, o grupo descreve no livro ‘O Potencial Pedagógico dos Espaços Não Formais da Cidade de Manaus’ como se trabalhar a educação no Museu do Seringal, aproveitando a história da Amazônia focada na exploração da borracha. Também abordamos temas relacionados à conservação de recursos hídricos, entre outros.

CIÊNCIAemPAUTA: O que o leitor vai encontrar nas publicações lançadas neste ano?

AT: Esses livros trazem informações sobre os espaços não formais da cidade de Manaus. Pela primeira vez é apresentado material didático onde o professor tem acesso às informações de cada local, permitindo que ele faça um planejamento para trabalhar os conteúdos de ciências em locais diferentes da sala de aula.

CIÊNCIAemPAUTA: Fale um pouco sobre o conteúdo de cada livro?

AT: O livro ‘Ensino de Ciências em Espaços Não Formais’ busca discutir, em uma perspectiva pluriometodológica, o uso de espaços não formais para o ensino de ciências, compreendendo o espaço como objeto presente no cotidiano e realidade dos aprendizes no ensino formal ou não formal. Esse tipo de leitura é, na maioria das vezes, escassa por parte dos educadores e estudantes. O ‘Guia de Visitas a Espaços Não Formais Amazônicos’ é uma ferramenta que orienta a forma como o professor pode sair da sala de aula e levar os estudantes para espaços não formais de ensino. Nele, por exemplo, é apresentado o Bosque da Ciência do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa) como espaço com potencial pedagógico para o ensino de ciências. A terceira publicação, ‘O Potencial Pedagógico dos Espaços Não Formais da Cidade de Manaus’, revela a potencialidade pedagógica de dez espaços não formais da cidade de Manaus, compreendendo aquele espaço como um ambiente rico em cultura e linguagem para o ensino.

CIÊNCIAemPAUTA: Quanto tempo em média o Grupo leva para produzir um livro?

AT: Cerca de um ano, mas já tivemos livros que demoraram mais tempo porque tivemos que faze trabalho de pesquisa de campo e também de buscar recursos para financiar a publicação. No caso do ‘Guia de Visitas a Espaços Não Formais Amazônicos’ demoramos mais ou menos três anos para concluí-lo e publicá-lo.

CIÊNCIAemPAUTA: Falando em financiamento, de que forma o Grupo consegue os recursos financeiros para a realização das pesquisas?

AT: Contamos com o apoio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (Fapeam) e da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) que apoia com o financiamento das bolsas dos estudantes para a realização das pesquisas.

CIÊNCIAemPAUTA, por Mirinéia Nascimento

 

Pesquisar no site

Contato

Ensino de ciências